Avançar para o conteúdo

São Tomé “leve-leve”

  • por
Rute Silva Sao tome leve leve

Em Novembro de 2019 visitei São Tomé e Príncipe pela primeira vez. Foi uma visita curta de 3 dias, em trabalho a pedido de um cliente para uma cadeia de hipermercados em Portugal. Fui fazer entrevistas de emprego com o objetivo de, posteriormente, fazermos um recrutamento internacional neste país.

No primeiro dia aproveitei para conhecer alguns locais mais conhecidos na ilha e conviver o mais que pude com os nativos, ver, ouvir e compreender, como uma forma de preparação para os dois dias seguintes de trabalho.
O modo de vida é “leve-leve”, como eles próprios estão sempre a dizer, sem stress nem preocupações.
Deixou-me fascinada e por momentos desejei viver lá para sempre e ter aquela descontração natural em mim (mas foi só por momentos, porque eu sou demasiado acelerada, talvez fosse “leve-leve” demais).
Nunca na minha vida vi tanta beleza natural num só local, ao ponto de dar por mim várias vezes emocionada.  É tudo muito mágico e natural. A natureza no seu estado mais puro.

À procura de uma nova oportunidade

Os dois dias seguintes foram passados entre a sala que o hotel nos dispensou muito amavelmente para realizarmos as entrevistas e em reuniões na Embaixada de Portugal.
Foi bastante interessante fazer as entrevistas de emprego e conhecer um bocadinho da vida destas pessoas.
Todas elas tinham raízes bastante profundas na ilha, famílias numerosas, casamentos que estavam para acontecer, filhos que estavam para nascer, as festas e as diversões ao fim-de-semana que nos  falavam com frequência, assim como nas suas danças e tradições…
No entanto, pretendiam trocar a vida “leve- leve” por uma oportunidade de emprego em Portugal, viver num país onde os cuidados básicos de saúde são assegurados,  onde os salários são pagos condignamente e de acordo com a legislação em vigor e onde a língua não é um obstáculo (pelo menos parcialmente).
Foi o local mais lindo que visitei, fiquei maravilhada. Há anos que tencionava visitar São Tomé, desde 2007, quando li o livro – “O Equador” de Miguel Sousa Tavares, um dos meus livros de eleição.
Posso dizer-vos que quando estava a passear nas ruas eu já conhecia o local sem nunca lá ter estado. Adorei São Tomé e as suas gentes e tenciono lá voltar mais vezes;  sim, porque só mais uma não chega 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

pt_PTPortuguês
Powered by TranslatePress
Verified by MonsterInsights